Outubro Rosa: o combate efetivo do câncer de mama

Este mês é dedicado para a prevenção do câncer de mama, a campanha Outubro Rosa, serve para lembrar da saúde da mulher, especialmente do câncer de mama, que quando diagnosticado precocemente tem chance em 98% de cura.

O câncer de mama é o que mais vitima mulheres de 40 a 69 anos de idade, e o número não é maior, pois as mulheres seguem a cartilha dos exames de rotinas periódicos e do auto exame também.

Independentemente de constarem no grupo de risco, é importante que todas as mulheres prestem atenção às orientações para prevenção do câncer de mama, os cuidados devem iniciar ainda na juventude, fase em que a mulher já deve consultar-se com o ginecologista anualmente e realizar o autoexame das mamas uma vez ao mês. Este, facilita a identificação de qualquer alteração: pequenos nódulos, existência de secreção nos mamilos, mudança de cor da pele, etc. O correto é fazer o autoexame das mamas todos os meses, a partir dos 21 anos, sempre no sétimo dia subsequente ao início da menstruação. Mulheres na menopausa também devem dedicar um dia por mês para realizar o toque nas mamas.

A observação das mamas deve ser feita em frente ao espelho que deve ser verificado o tamanho, a posição, a forma da pele, a aréola e o mamilo. Primeiro, com os braços relaxados na lateral do corpo. Depois, com as mãos na cintura, apertando o abdômen, e, por último, com as mãos atrás da cabeça. Antes de concluir, a mulher também deve apertar o mamilo para certificar-se de que não existe secreção.

A mulher deve prestar atenção à existência de caroços, secreções, saliências ou alguma diferença na consistência da mama. É importante examinar, também, as axilas e o pescoço. Caso a mulher encontre uma depressão, saliência, rugosidade, alteração na forma do mamilo ou qualquer outra situação que lhe pareça anormal, deve consultar-se com um ginecologista.

Mas, lembre-se o autoexame das mamas não substitui e nem torna dispensável a realização da mamografia, que deve ser feito a partir dos 50 anos, todos os anos. O exame ajuda a detectar lesões que não são sentidas pelo toque e que, geralmente, estão em estágio inicial, o que aumenta as chances de cura do câncer.

Fonte: Clínica Soma